Assim nós, que somos muitos, somos um só corpo em Cristo.(Rom.12.5) Tenhos uma grande esperança, a de um dia todos, pobres, ricos, brancos, negros, com religião, sem religião, brasileiro, estrangeiro, todos que professem a mesma fé em Cristo Jesus, todos serão um. isso é tremendo pois acabará toda discórdia, toda separação, toda guerra, muitas até em nome de Deus. tudo terá um fim, e juntos seremos um. Assim com o Pai, O Filho e o Espirito Santo, são um só.
PARA PENSAR
“A menos que abramos as portas de nossas casas uns aos outros, a realidade da Igreja que Jesus edificou como sendo uma família de irmãos e irmãs amorosos é apenas uma teoria”
-Solon Mariano

sábado, 25 de junho de 2011

Por que Paulo não fundou a sua própria ‘igreja’ como muitos fazem??!!


(Por favor, não clique na 'imagem', isto são as coisas dos charlatões da fé que denunciamos neste blog)

Quando aceitamos a ordenança divina para que tudo quanto seja feito, seja para a honra, a glória e o louvor dAquele que em tudo excede a plenitude da sabedoria, entender-mos-ia então que Paulo não fundou sua própria ‘igreja’ porque Deus não ordenou a nenhum homem a criar ou fundar ‘igrejas’...

Paulo, o apóstolo dos gentios [Romanos 13; 1Timóteo 2; 2Timóteo 1; Gálatas 2] foi chamado pelo Senhor como Seu “vaso escolhido, para levar o Seu nome diante dos gentios, e dos reis e dos filhos de Israel” [Atos 9]; (nós somos osgentios, aqueles que não são da nação de Israel, a nação escolhida por Deus para trazer testemunho de Seu nome).

E Paulo, findando sua carreira, trazendo-nos as ordenanças de Deus para a igreja gentílica, simplesmente, alugou uma casa, e ali, permaneceu pregando a Palavra e ensinando com toda a liberdade, sem impedimento algum [Atos 28].

Porquanto, a verdadeira Igreja foi edificada em e por Cristo [Mateus 16], portanto, ninguém pode fundar ou criar uma outra; apesar de encontrarmos milhares de ‘lugares’ comuns que os homens chamam de ‘igrejas’.

Não sou contra há alguns lugares que chamam de “igreja”, ou instituições religiosas (existem poucas onde há temor a Deus). Minhas críticas estão quanto a importância que a maioria tem dado a estes lugares; usam-nos como um único refúgio, e isto não é verdade bíblica, pois que, nosso único refúgio é o SENHOR[Salmos 91];

É essencial que os frequentadores de instituições religiosas com nome de igrejaentendam que muita coisa (muita mesmo) poderia se transformar para melhor, tão somente se os que se acham ser a liderança (autoridade espiritual), não tomassem a postura de se acharem superiores e os indispensáveis, como que somente eles (ditos pastores evangélicos) fossem o supra sumo do povo de Deus!!! (são tão miseráveis como nós)

É também importante entender que, o simples fato de pessoas frequentarem umainstituição religiosa com nome de igreja (ou igrejas evangélicas) não faz a veracidade de serem estas pessoas melhores diante de Deus que os outros que não frequentam instituições religiosas, como eu, um desigrejado de instituições que chamam de ‘igreja’.

Povo de Deus, nós, os que professam o nome do Cordeiro sobre a face da terra, possuímos (ou somos possuídos) por somente um único Pastor, o Filho de Deus; jamais precisaremos de um “pastor” de carne e osso; Deus levantou e levanta homens com o “dom ministerial de pastorear” [Efésios 4] o rebanho doSENHOR, qual seja, biblicamente falando não há nenhum homem, por mais justo e reto diante de Deus que seja, capaz de nos dar cobertura espiritual conforme Cristo, os pastores evangélicos nada mais são que homens comuns como nós, sujeitos a erros e falhas, portanto, não podem ser qualificados como muitos assim se apresentam ou os que os admiram...

homens piedosos que cuidam com amor do rebanho do SENHOR?? Afirmo que sim, claro, de outra sorte a Palavra de Deus seria em vão; mas, a maioria que se apresenta como “pastor” não tem chamado divino, muitos tem é curso de teologiae alguns “carteirinhas eclesiásticas”, se apoderam do título de “autoridade espiritual” (parece piada);

Devemos respeitá-los?? Nem toda a maioria, e muito menos pela forma como a maioria exigem, eles querem merecimento (ouvi isto de uma mulher que se apresenta como “bispa”, rsrsrsrsrs); devemos como crentes respeitar a todas as pessoas, indistintamente, somos todos iguais, e os que se apresentam comosuperiores, eles devem se apresentar é como “servos” ["Mas não sereis vós assim; antes o maior entre vós seja como o menor; e quem governa como quem serve" - Lucas 22].

Quando um indivíduo assume uma “instituição religiosa com nome de igreja” nada o faz ter o direito de dizer que tem um chamado divino, mesmo porque, a maioria absoluta das “instituições religiosas com nome de igreja” são criadas a bel prazer, são divisões de alguns que não aceitam a posição de outrem, outras são criadas por pessoas que não aceitam a submissão porque querem ser por elas as ordens eclesiásticas, enfim, é uma briga, uma prepotência, a soberba, a ganância, e tudo isto não é de Deus, é simplesmente, coisas de homens (e mulheres).

Façamos então, nossas palavras, as de Deus, quando afirma, em soberania que, Cristo é a cabeça do corpo (da Igreja) e o Espírito Santo o Líder, e não um homem (ou mulher) que se possam apoderar de um título de sacerdócio ou hierarquia dada por outro homem (ou mulher) para se fazerem passar por tais;

A sede da Igreja de Cristo está nos céus, onde não há tradições, sofisma, dogmas, e não é uma instituição religiosa com nome de igreja, mas, sim, orgânica, viva, santa, imaculada, não tem paredes e não é um prédio, são simplesmente pessoas que professam (vivem um testemunho fiel) o nome do Cordeiro de Deus.

Pensem nisto:

- Deus é Deus, e nós, homens, pastores, padres, religiosos, ou não, somos todos iguais perante Deus, alguns podem ser de renome ou mais famosos, mas, diante a Tribunal de Cristo [Romanos 14; 2Coríntios 5] somos todos iguais;

- A única diferença que há entre os que se apresentam como “pastores” é que eles possuem uma responsabilidade diante de Deus maior que os demais, ou seja, eles serão mais cobrados por Deus [“Mas o que a não soube, e fez coisas dignas de açoites, com poucos açoites será castigado. E, a qualquer que muito for dado, muito se lhe pedirá, e ao que muito se lhe confiou, muito mais se lhe pedirá" - Lucas 12].

Em nome de Deus, digo, Silas Malafaia, ou Edir Macedo, ou Renê Terra, ou Jabes Alencar, ou RR, ou José Wellington, ou Samuel Câmara, ou Daniel Berg, ou Gunnar Vingren, ou qualquer Hernandes, ou qualquer Valadão, e todos os outrosevangélicos de renome, são tão iguais quanto um evangélico possa imaginar!!!! Somos todos iguais perante o Deus Todo Poderoso... “Para que nenhuma carne se glorie perante Ele” [1Coríntios 1].

Afirmo em Deus que, não sou evangélico, sou crente em Cristo Jesus conforme a Bíblia nos requer [João 20; 1Coríntios 1; Gálatas 3].


Por Cristo. Em Cristo. Para Cristo. Nos interesses de Sua Igreja.

Fonte:

Nenhum comentário:

Postar um comentário