PARA PENSAR
“A menos que abramos as portas de nossas casas uns aos outros, a realidade da Igreja que Jesus edificou como sendo uma família de irmãos e irmãs amorosos é apenas uma teoria”

"Desinstitucionalizados sim, desigrejados jamais, desviados nunca. Somos a igreja de Cristo “juntamente com todos os que, em toda parte, invocam o nome de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor deles e nosso.” (1Co 1.2)" Por seu Reino!

Se alguém comemorou o Dia da Reforma Protestante exaltando a Lutero e sua obra e luta, mas condena os "desigrejados" de nossos dias, esse alguém não entendeu nada!

sexta-feira, 4 de março de 2016

A Verdade sobre o Dízimo e a Graça


A questão do dízimo. Muito esclarecedor !

Bom, como todos devem saber este é um dos pontos defendido com unhas e dentes pelo sistema religioso moderno. De forma resumida e bastante clara o dízimo não faz parte da Nova Aliança. Na bíblia você não vai encontrar Jesus ensinando seus discípulos a dizimarem, bem como não vai encontrar em nenhum momento os discípulos ensinando tal coisa posteriormente. Não é estranho algo que não foi ensinado nem por Jesus nem por seus discípulos ser hoje o assunto mais batido na igreja?
O fato é que quando na Antiga Aliança o dízimo foi instituído como ordenança para o povo de Deus havia um propósito muito bem definido de onde ele deveria ser empregado. Veja: Deuteronômio 14:27-29
"Porém não desampararás o levita que está dentro das tuas portas; pois não tem parte nem herança contigo. Ao fim de três anos tirarás todos os dízimos da tua colheita no mesmo ano, e os recolherás dentro das tuas portas; Então virá o levita (pois nem parte nem herança tem contigo), e o estrangeiro, e o órfão, e a viúva, que estão dentro das tuas portas, e comerão, e fartar-se-ão; para que o SENHOR teu Deus te abençoe em toda a obra que as tuas mãos fizerem."
Para que então servia o dízimo do povo de Deus? Para suprir a necessidade dos Levitas que não tinham herança, dos estrangeiros, dos órfãos e das viúvas.
De forma "mais bíblica" podemos dizer que se desejam continuar com a doutrina do dízimo, o mesmo deve continuar a cumprir o seu propósito com: estrangeiros, órfãos e viúvas. Porque não mencionei os Levitas? Simplesmente porque não existe mais sacerdócio levítico na Nova Aliança.
Por que não existe? Porque os seus serviços só eram necessários enquanto o templo de pedra estava de pé, e como você já deva saber, do mesmo só ficou pedra sobre pedra, exatamente como Jesus havia predito. O véu se rasgou, o templo caiu e hoje nós somos o templo. Também havia uma outra razão de Jesus não ter ensinado sobre o dízimo, Ele não tinha autoridade para fazer isso. Por que não? Porque Ele era da tribo de Judá, (poderia vir alguma coisa boa de Judá?) logo não sendo um levita, descendente de Levi, não poderia administrar o dízimo. Se Ele fizesse isso estaria descumprindo a lei. Por isso quando Jesus fala sobre o dízimo em Mateus 23:23 ele está tratando com homens ainda debaixo da lei, pois Jesus ainda não havia consumado a sua missão, a Nova Aliança ainda não estava em vigor. Jesus estava dizendo para aqueles homens que eles não poderiam cumprir apenas alguns pontos da lei, pois se tropeçassem em um só ponto seriam condenados por toda a lei.
Por isso Jesus declarou que veio para cumprir a lei(de uma vez por todas) e então estabelecer a Nova Aliança, o tempo de Graça, do favor imerecido, porque é simplesmente impossível para qualquer homem viver 100% debaixo da lei e assim ser justificado por ela.
Quando você começa a ser esclarecido pela palavra de Deus você começa a entender porque a igreja moderna está do jeito em que está.
Primeiro, se ressuscitam o templo(sem valor na Nova Aliança, pois nós somos o templo), obviamente vão precisar ressuscitar os sacerdócios(Levítico e Arônico)que o administravam(também sem valor na Nova Aliança, Ele nos fez a todos sacerdotes, segundo a ordem de Melquisedeque), como também a antiga forma de sustentar as despesas(sem valor na Nova Aliança, pois aprendemos que tudo o que temos pertence a Deus, não somente 10% mensais.) Assim o "cristão" não esclarecido continua preservando lugares especiais, pessoas especias, datas especias, sendo que nada disso encontramos na igreja primitiva.
Não encontramos templos construídos pelos primeiros cristão, pois eles se reuniam em suas próprias casas. Não encontramos pessoas especiais se assentando acima das outras na igreja primitiva, pois eles estavam muito bem conscientes de que os dons pertencem a Deus e que todos eram iguais diante dEle.
Acho engraçado que os defensores do dízimo declaram que os anti-dízimo são avarentos. Não discordo que de fato deva existir "não dizimistas" avarentos. Contudo, olhemos para os primeiros cristãos. Leia o livro de Atos e você não encontrará nenhum deles dando 10%, você encontrará cristãos verdadeiros, que entenderam o que é priorizar o reino de Deus, vendendo suas terras e bens e depositando aos pés dos apóstolos, de maneira que tudo o que era arrecadado, não servia para o capricho de construir templos ou para salários do clero, mas sim para que aquela grande família não tivesse necessidade alguma. Atos 4:32-34
"E era um o coração e a alma da multidão dos que criam, e ninguém dizia que coisa alguma do que possuía era sua própria, mas todas as coisas lhes eram comuns."
"Não havia, pois, entre eles necessitado algum; porque todos os que possuíam herdades ou casas, vendendo-as, traziam o preço do que fora vendido, e o depositavam aos pés dos apóstolos. E repartia-se a cada um, segundo a necessidade que cada um tinha."Que glória"! Esta era a igreja e é assim que ela deve continuar sendo!
Olhe para os templos hoje, milhares de pessoas aglomeradas, centenas delas necessitadas(precisando de alimento, roupas, alguns sem ter o que comer ou um botijão de gás para preparar o seu alimento, etc...) e o que elas ouvem? "Tragam mais dinheiro e o Senhor te abençoará"; "Nem pensem em deixar de trazer pois estarão debaixo de maldição!";" Não roubem a Deus!"
Espere ai! Quem está roubando a Deus? Se o dízimo deveria estar sendo usado para a necessidade dos pobres, órfãos e viúvas e não para pagar o salário do pastor do templo, do obreiro do templo, do músico do templo, do aluguel do templo, da água e luz do templo, do telefone do templo, da internet do templo, da construção do templo, do ar condicionado do templo, do altar de mármore do templo, da gráfica que imprime os envelopes de dízimos e campanhas do templo, da oferta gorda do renomado que vem pregar no templo, presente de aniversário pro pastor do templo, carro pro pastor do templo, terno pro pastor do templo............
Quantos templos existem em sua cidade? Quantos deles sustentam uma obra de recuperação de drogados? Sustentam um asilo de idosos? Projetos com meninos de rua? Projetos de recuperação de prostitutas? Assistência a famílias carentes? Meu Deus! Eles ainda tem a cara de pau de fazer campanha do quilo, ou seja, além de você muitas vezes sem poder, ter que levar 10% ainda tem que levar o alimento. Deste alimento fazem, dependendo do tamanho do templo, 5,10,20 cestas básicas, onde 3 fica pro pastor, pra ele não precisar mexer no salário dele e o restante anunciam em praça pública e nos telhados para todos saberem que estão fazendo a obra de Deus.
Hipocrisia! Quem está roubando a Deus? Outra coisa que não tem cabimento é o seguinte. Você deixa de dizimar e segundo eles está roubando a Deus, se está roubando então você é um ladrão e os ladrões não serão salvos, como consequência disso você não pode exercer nenhuma função junto a igreja, no caso da igreja moderna, você é destituído do seu cargo de obreiro, músico, presbítero ou seja o que for até que coloque a sua dívida em dia. Em alguma igrejas você já pode fazer isso em 6 vezes no cartão. Saiba que tudo isso é mentira! É um engodo para que eles possam manter esta máquina de engano(o sistema religioso que inventaram) funcionando.
Percebe o que estão fazendo? Estão colocando algo sem valor algum na Nova Aliança numa posição acima até mesmo do próprio sacrifício de Cristo. Não é o dízimo que diz quem você é na igreja, que parte você é do corpo, é Deus, é o Espírito Santo quem te capacita para cumprir a sua parte e homem algum tem o direito de censurar o sacerdócio que você recebeu de Jesus.
Jesus nos fez a todos sacerdotes, primeiro para zelarmos por nossa própria vida que é o verdadeiro templo do Espírito Santo, segundo para fortalecermos os mais fracos na fé, ajudá-los a crescer em fé para então desempenhar suas funções com alegria. A verdadeira igreja de Jesus funciona por meios de inclusão e não de exclusão. Quantas pessoas com dons maravilhosos do Espírito Santo estão confinadas nos bancos de “igreja” se sentindo inferiores, rejeitados e humilhados só porque um sabichão qualquer é quem decide quem é e quem não é, quem pode e quem não pode. Tomaram o lugar de Deus e estão a todo o momento retendo a Sua glória para si mesmos.
A esta altura você já deve ter percebido que o teor das minhas palavras são de total indignação. Deixe eu respirar um pouco.
O que precisamos entender é que 10%, para quem entende o reino de Deus, é verdadeiramente uma miséria. Logo a questão não é o quanto você contribui religiosamente todo mês, mas sim a sua sensibilidade para contribuir com liberalidade de acordo com a necessidade da ocasião. Nossa atenção deve estar primeiramente voltada aos da família da fé, para a igreja que se reúne com você. Depois para as pessoas necessitadas a nossa volta, da nossa cidade. Depois obra missionaria mundo a fora. O verdadeiro cristão está sempre a procura de meios para fluir desta forma para com o reino de Deus. Não fica sentado esperando que alguém bata a sua porta e lhe peça esmola. Temos a consciência de que um dia vamos dar conta de tudo diante Deus, principalmente dos recursos que o Senhor nos dá e será naquele dia que vamos conhecer todos aqueles que gastaram mais com suas vaidades ou com o reino dEle.
Por tanto esqueça este negócio de que Deus olha o teu coração e não importa o que o pastor está fazendo com o dinheiro. Claro que importa! Você é quem vai dar conta da sua própria administração, então tome muito cuidado para não tornar vão o recurso que o Senhor te dá.
Vidas não são tijolos!
Via http://www.missoes2020.org/m2020/perguntas.html

Recomendo a leitura
Escrito Por Antonio Vergílio Vicente




"O Dízimo e a Graça é um livro inspirado por Deus, que veio para descortinar, à luz da Bíblia, toda a realidade referente à verdadeira contribuição cristã, e libertar a muitos do jugo da Lei do dízimo".A libertação dos cristãos, em relação ao cumprimento da Lei do dízimo, está exposta em toda a Bíblia, porém, o que acontece nos nossos dias, é que muitos obreiros estão desviando a atenção do povo de Deus da verdadeira contribuição cristã, com a intenção de arrecadar pela ordenança da Lei de mandamento carnal. Pegam as mensagens bíblicas que foram escritas para o povo que vivia debaixo da Lei, mensagens do Antigo Pacto, e as aplicam ao cristianismo! Ao invés de ensinarem o povo a contribuir por amor a obra de Deus, acham mais fácil e confortável (para si mesmos) ensinarem o povo a ter medo das ordenanças do Antigo Pacto, sob ameaças da maldição da Lei, segundo Malaquias 3 8-10, levando o povo a contribuir para sentir o alívio de um peso obrigatório (para o resgate de uma dívida para com Deus), rejeitando assim o que foi estabelecido pelo Espírito da Graça. O apóstolo Pedro profetizou sobre essa lamentável situação, dizendo: Também, movidos pela avareza, farão comércio de vós, com palavras fingidas". (2 Pd 2.3)

Um comentário:

  1. gostei muito desse livro ,,parabens ao autor dele,,gostaria que alguem me informasse onde posso esse livro

    ResponderExcluir