PARA PENSAR
“A menos que abramos as portas de nossas casas uns aos outros, a realidade da Igreja que Jesus edificou como sendo uma família de irmãos e irmãs amorosos é apenas uma teoria”

"Desinstitucionalizados sim, desigrejados jamais, desviados nunca. Somos a igreja de Cristo “juntamente com todos os que, em toda parte, invocam o nome de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor deles e nosso.” (1Co 1.2)" Por seu Reino!

Se alguém comemorou o Dia da Reforma Protestante exaltando a Lutero e sua obra e luta, mas condena os "desigrejados" de nossos dias, esse alguém não entendeu nada!

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

DESIGREJADO SIM, DESVIADO NÃO!



D

evido à preconceitos, mal-entendidos, interpretações dúbias, subentendimento... Busco neste artigo, apresentar de forma clara e simples a significação do que entendo ser um “desigrejado” (termo eclético, que podemos definir como sendo pessoa ou grupo de pessoas que participam de movimentos “Para-eclesiásticos”, e que não possuem vínculo institucional com nenhuma entidade religiosa, por entenderem que não somos chamados para “estar em uma igreja”, mas para “ser Igreja”).



Primeiramente, para que tenhamos uma melhor compreensão do assunto, como o próprio título do artigo propõe, o “desigrejado” não é um “desviado”, antes, é um cristão, que, em um dado momento, foi um “igrejado” e que não suportando mais compactuar com certo tipo de estelionato travestido de Evangelho, optou em expressar sua fé em Jesus Cristo de uma forma simples e sem a estrutura e sofisticação de uma instituição denominada igreja.


Assim, ser “desigrejado” não é o mesmo que ser “desviado”. O desviado seria aquele que não apenas deixou a igreja, mas afastou-se do próprio Cristo, voltando às práticas pecaminosas que antes dominavam sua vida. Já o desigrejado não pretende afastar-se de Cristo, nem de Seus ensinamentos, mas tão-somente da máquina eclesiástica. Estes podemos dizer que são os verdadeiros desigrejados, que não fazem parte de uma igreja, mas desejam fazer.


É crescente o número de pessoas que se intitulam desigrejadas, isto é uma realidade. Enorme massa de crentes deixa, a cada dia, os currais denominacionais, onde muitas delas estão desiludidas pela perversão institucionalizada. Com isso, não quero afirmar que toda instituição religiosa (que se denomina ‘igreja’) está pervertida, pois sei que existem algumas instituições religiosas, sadias, voltadas na simplicidade do Evangelho.


Portanto, os desigrejados não estão abandonando a Igreja, como se alega, e sim as estruturas denominacionais que se intitulam “igreja”. A Igreja de Cristo não é e nunca foi batista, metodista, presbiteriana, católica, pentecostal... O problema é que – as igrejas – estão mais preocupadas em preservar os odres do que o vinho.


Alguns “igrejados” me questionam do porque em afirmar ser um desigrejado, insistindo que deveria freqüentar “templos” que chamam de “igreja”; porém, isto é ensinamento bíblico? A questão é nevrálgica... Fora da “igreja” há Salvação? Respondendo a esta pergunta, a Salvação não está entrelaçada a qualquer instituição humana. A Salvação é obtida através de atributos eternos e comunicáveis a nós através da Graça, como a fé e o amor. 

O que a Bíblia fala a respeito do assunto? Antes gostaria de fazer algumas considerações. A grande verdade da existência da Igreja é o Seu fundador, Jesus Cristo, a pedra que sustenta o edifício espiritual do Reino de Deus. Portanto, a expressãoekklésia (do grego Ek+Kaleo, que significa igreja), nada tem haver com prédios, templos ou coisa parecida. Tem haver sim, com comunidade, os chamados para fora. Não existe nenhuma analogia entre o Templo em Jerusalém e os prédios (templos) de igrejas locais. A história de Constantino (285-337) abre uma página tenebrosa na história da cristandade, foi ele quem iniciou a construção dos edifícios (templos) eclesiásticos.


Biblicamente não há qualquer ensinamento de que devemos fundar ou construir “igrejas físicas”, mas, há o ensinamento de que devemos nos reunir “como Igreja” independente do local. A isso, a Bíblia chama de “congregação dos Santos” (Hebreus 10), sendo esta a união de todos aqueles que professam o nome do Cordeiro de Deus sobre a face da terra, com um só propósito, adorar a Deus em espírito e em verdade (Jo 4.20-23), vivendo em comunhão, mesmo não se conhecendo, mas orando uns pelos outros. Essa última compreensão “de adoradores que adoram em espírito e em verdade”, juntamente ao dito de Jesus de que “onde dois ou três estiveram reunidos em meu nome, ali estou no meio deles” (Mateus 18.20), fundamentou a eclesiologia cristã: a “igreja” não é um edifício, mas o povo reunido em nome de Jesus, o Cristo.



O único objetivo da Igreja, não é atrair pessoas para ela, mas conduzir pessoas a Jesus. Em linguagem bíblica, o objetivo da Igreja é sustentar o testemunho de Jesus (Atos 1.8), para que todos possam vê-Lo, que todos possam ver a Luz.



O moderno sistema denominacional aceita a divisão do corpo de Cristo. Muitos cristãos crêem que as denominações nos protegem do erro. Mais isto é uma ilusão. A “cobertura denominacional” está edificada sobre a idéia de que seu pertenço a uma denominação cristã, estou de alguma forma magicamente “coberto” ou “protegido” do erro. O fato dos membros do sistema denominacional rotineiramente se extraviarem é prova de que tal idéia é uma farsa. A noção de que “estou coberto” porque presto contas a algum indivíduo ou a alguma organização remota (como a igreja católica Romana presta ao Papa) é pura ficção. A única proteção do erro está na submissão ao Espírito da verdade no Corpo de Cristo (1Jo 2:20,27). A idéia de Deus referente à responsabilidade de prestar contas vai de pessoa para com o grupo de crentes, não de pessoa para pessoa. A proteção espiritual vem de nossa relação com o Espírito e de nossa conexão com os outros cristãos. Aqui está a raiz da natureza da comunidade cristã.



Para finalizar, acredito que todo desigrejado não seja contra a “igreja física”, pelo menos, não o sou, mas, existe em cada um o desejo ardente de uma forma mais pura de servir a Deus e ao próximo, como na forma original, que nasceu organizada e estruturada através dos Evangelhos e nos demais testemunhos do Novo Testamento.



Sola Christus!





Fontes:
- http://conexaodagraca.blogspot.com;
- http://www.slideshare.net/EscrituraEmFoco/desigrejados-ou-desviados;
- http://www.genizahvirtual.com/2010/06/desigrejados-sim-desviados-ao.html#ixzz1TnTeXAkv;
http://www.genizahvirtual.com/2010/12/desigrejados-desviados-e-evangelicos.html#ixzz1MNXvCIOR;
- http://www.guiame.com.br/v4/blog_bruno/126551-1608--quot-Desigrejados-quot-Os-que-est-o-fora-querendo-estar-dentro-.html;
- http://tempora-mores.blogspot.com/2010/04/os-desigrejados.html;
- http://jesusmaioramor.blogspot.com/2011/07/ser-desigrejado-e-ser-contra-os-que.html;
- http://www.pulpitocristao.com/2010/05/sobre-igrejados-e-desigrejados-uma-opiniao-franca/;
- http://www.ogalileo.com.br/cristianismo/artigos/e-possivel-viver-o-evangelho-sem-se-envolver-com-estruturas-eclesiasticas.


Acesse a postagem original em: http://teologiadacidade.blogspot.com/2011/08/desigrejado-sim-desviado-nao.html#ixzz3jPbRWL44

Nenhum comentário:

Postar um comentário